ATENDIMENTO: (17) 3395-1780
Seg. à sexta das 08:00 às 18:00hs
Serra da Mesa e seus Tucunarés Gigantes


Considerado um dos maiores lagos artificiais do mundo, e o maior do Brasil, ocupa 1.784km2 de espelho d´água o equivalente a 150.000 estádios de futebol.



Tornou-se sem duvida nenhuma um dos melhores “points” pelos apaixonados pela pesca do tucunaré, principalmente os amantes de iscas artificiais. Em suas águas já foram registrados vários exemplares de tamanhos incomuns, peixes acima de 5 kgs, que para espécie são considerados de excelente porte. Por esses motivos fomos conhecer esta maravilha da natureza e também tentar a sorte de fisgar esses gigantes.

A data escolhida coincidiu com o frio da região sudeste (Maio/2006). Estávamos um pouco apreensivos, pois saímos do aeroporto em São Paulo com temperatura de 9ºC, fator esse que sem duvida nenhuma poderia atrapalhar nossa pescaria.

Chegamos em Brasília ainda pela noite onde seguimos viagem rumo a Pousada Serra da Mesa, percurso esse de 350 km com aproximadamente 5 horas de viagem. Chegamos na pousada por volta das 03:00 hs da manhã e para a nossa surpresa e felicidade a temperatura estava agradável, então era só esperar amanhecer e começar a pescar.

A PESCARIA

Nosso principal objetivo nesta viagem era com certeza a captura dos grandes azuis e para isso, traçamos um plano de pescaria aproveitando o fato de estarmos pescando em dupla, eu e meu grande amigo e sogro Celso Araújo.


Assim sendo colocamos o plano em prática, tendo como meta testar a maior quantidade possível de modelos de iscas artificiais, um utilizando iscas de meia água e o outro com iscas de superfície para assim descobrirmos o comportamento dos peixes e explorar melhor a área de atuação de nossas iscas.

Saímos em busca do primeiro ponto de pesca na companhia do guia Expedito (Pousada Serra da Mesa), um grande conhecedor do local, navegamos durante uns 20 minutos e o local escolhido foi uma das centenas de grotas que existem na represa.
Comecei a pescar com uma Popper (Super Bait Popper - Moro) alternando os movimentos por várias vezes, ora rápido ora lento, mas sem nenhuma ação. Por outro lado meu parceiro, com uma isca sub-superficie (Perversa – Borboleta), em seus primeiros arremessos já havia capturado um belo Tucunaré-Azul de uns 3 kg e outros menores. Decidi então mudar de isca para uma Hélice (Heddon XO362 Magnum Torpedo), com toques firmes de ponta de vara e então tive alguns resultados porém de peixes menores, já meu parceiro continuava capturando os peixes maiores e em maior quantidade.


Então resolvi mudar radicalmente, coloquei uma zara (Z90J – Deconto, presente de meu grande amigo Juninho), e já em meus primeiros pinchos a diferença foi gritante, capturei um belo exemplar de Tucunaré-Amarelo de 3 kg e alguns azuis menores. Terminamos o primeiro dia com muitas ações e boas capturas, com mais produtividade nas iscas de sub-superficie e meia-água.


No dia seguinte partimos com a mesma estratégia, queríamos saber se o comportamento dos peixes havia mudado, e percebemos logo de cara que tudo continuava na mesma comparado ao dia anterior. Rapidamente coloquei uma Popper Zara (Plóc Plóc – Deconto) com trabalho um pouco mais lento que o normal e com paradinha.

Foi aí que descobri, como se diz no ditado popular, “o pulo do gato” para que os maiores tucunarés atacassem na superfície e com isso equiparar com as iscas de meia-água. Foi só uma questão de tempo para o primeiro bom exemplar ser fisgado, um Azulão de 4,5 kg, com três estouros na zara antes de fisgar, daí por diante nossa pescaria foi só alegria, capturamos vários peixes na faixa de 1 a 4 kgs.


O Inesperado


Seguindo em nossos pinchos, eu com a zara e meu parceiro Celso Araújo com uma isca de meia-água (Inna 115 – Marine Sports), ele arremessou entre umas vegetações que estavam submersas (o nível da represa estava muito alto, bem acima de seu normal) quando aconteceu o inesperado, um "Bocudo" no auge de seus 5,6 kg, abocanhou a isca e nem deu bola para o pescador, colocando a linha nas costas e saindo como louco para o meio da represa (para nossa sorte), parecendo sem exagero, um peixe de couro brigando no fundo. Depois de alguns minutos de pura adrenalina o bichão se rendeu e a euforia tomou conta do barco (só alegria), um Azul gigante que justifica a fama de Serra da Mesa.


Conclusão


Sem duvida nenhuma estamos falando de um dos melhores pontos de pesca do tucunaré, em apenas quatro dias de pescaria tivemos várias ações de peixes grandes, capturamos muitos peixes acima de 3 kg.


A grande dica que passo à vocês é que na pescaria em geral, mais especificamente a do Tucunaré, o importante para o pescador esportivo é ter sempre em sua caixa os mais variados tipos e modelos de iscas artificiais possíveis, tanto de superfície, como de meia-água e de fundo, pois nunca saberemos o comportamento do peixe na data especifica de nossa pescaria bem como da região.

Quanto a parceria dentro do barco, precisamos sempre estar



Voltar