ATENDIMENTO: (17) 3395-1780
Seg. à sexta das 08:00 às 18:00hs
A Estréia de Fabinho!
Eu respeito qualquer tipo de pesca desde que seja esportiva e não de matança. Eu gosto muito da pescaria com iscas artificiais e mesmo quando não pega nada, o que é bastante comum, eu curto demais os arremessos dos plugs e também de fly. Até essa pescaria com meu pai e meu amigo Nick Zahra, eu não gostava de corricar.
Nick Zahra, é uma das pessoas que mais entendem de pesca que conheço e gente muito boa. Ele é guia de pesca em Ubatuba e de vez em quando pescamos juntos. Nessa pescaria que fizemos, ele me mostrou que corricar não é somente arrastar a isca e esperar que o peixe morda e que o corrico pode ser muito dinâmico também. Comprovei um grande aumento nas ações ao seguir alguns conselhos seus: primeiro foi colocar a vara no suporte e não segurar na mão, para que não fique alterando a movimentação da isca.
Depois foi acertar a direção, pois, aprendi que não adianta colocarmos nossos plugs em direções diferentes que a vida local está se movimentando e para isso, com a ajuda da bússola ou GPS, testamos até perceber uma melhora nos ataques. Nesse dia por exemplo, quando nos dirigiamos ao sudoeste, não dava outra, pegava firme tomando fricção e a briga estava garantida. Outra coisa muito legal foi resolver o porque muitos peixes estavam escapando assim que tirava a vara do suporte. Quando o Nick disse que precisava aumentar a velocidade do barco, achei que ele estava enganado, pois, na minha cabeça isso faria escapar mais ainda. Rapido notei que o Nick tinha razão e, sua explicação também me convenceu: as bicudas e as anchovas são muito velozes e vorazes e quando elas vem no encalço da vítima, chegam ultrapassando a presa e isso faz com que as garatéias não as ferrem bem. Com a velocidade maior não ultrapassam o plug e o barco as traz um pouco para frente assim que abocanham a isca. Com isso não têm tempo de desistirem da caça e acabam se fisgando muito bem. Depois é só curtir o peixe.
Bem isso foi o que comprovei e venho aplicando com sucesso, depois disso comecei achar a pesca de corrico mais interessante, afinal temos que descobrir em que direção os peixes estão caçando, em que velocidade estão comendo, que tipo de plug está atraindo mais, que profundidade estão mais ativos, enfim um monte de coisas que substituem muito bem o que tanto gosto: os arremessos, pois, às vezes o dia não está como gostaríamos que estivesse.
Aproveito para mandar um abraço e um obrigado para o meu amigo Nick e dizer que logo estaremos juntos de novo. Quem quiser pescar com ele é só escrever e agendar nickzahra@uol.com.br, o cara é legal pra caramba!
Valeu! Boas pescarias e soltem os peixes,
é muito legal!


Voltar